O USO DA ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA (EMTr) COMO TRATAMENTO PARA DISTÚRBIOS NEUROPSIQUIÁTRICOS
Jairo de Barros Filho, Fernanda Dias Weiler, Pedro Renato de Paula Brandão, Nasser Allam, Joaquim Pe
IX Jornada Científica do HUB BRASÍLIA-DF, 19 A 22 DE SETEMBRO DE 2006

Justificativa: A EMT é uma técnica não-invasiva, indolor, simples de ser aplicada e de baixo risco, utilizada
na investigação e modulação da excitabilidade cortical em humanos. O laboratório de Neurociências e
comportamento da UnB vem se destacando no estudo de aplicações clínicas desta técnica em neurologia e em psiquiatria. Métodos: Baseada na lei de Faraday, a técnica utiliza um aparelho capaz de produzir intensa
corrente elétrica, que percorre uma bobina posicionada em ponto estratégico no couro cabeludo, gerando um
campo magnético da ordem de 2 Tesla (aproximadamente da mesma intensidade do campo magnético estático produzido em um aparelho de ressonância magnética), com linhas de fluxo perpendiculares à bobina. A mudança rápida de intensidade deste campo magnético será capaz de induzir, dentro do crânio, um novo
campo elétrico, com capacidade de promover correntes secundárias (de cerca de 100mV/mm) no córtex
cerebral, em um plano paralelo à bobina. As correntes secundárias levam à uma despolarização de membranas celulares e, conseqüentemente, à ativação neuronal. Resultados: Em uma série de 5 pacientes, sendo 3 deles com distonia e 2 deles com dores crônicas, obtivemos um total de 4 respostas de alívio de sintomas, com duração do alívio proporcional ao número de sessões, em dias consecutivos, aplicadas, em baixa freqüência, com uma bobina magnética em forma de 8 (de modo a induzir uma redução da excitabilidade cortical de forma focal), sobre o córtex pré-frontal direito ou pré-motor esquerdo. Conclusão: A EMT é uma abordagem que apresenta grande potencial como instrumento de pesquisa e terapêutica em neuropsiquiatria e tem sido aplicada, por exemplo, para tratamento de depressão, epilepsia, doença de Parkinson, distonia, acidente vascular encefálico (AVC) isquêmico e esquizofrenia.

Voltar

 

Eletromagnetismo

Bioeletricidade
em Psiquiatría