ESTIMULACÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA (TMS) PRÉ-FRONTAL TRATAMENTO PARA DEPRESSAO EM DESORDENS AFETIVAS BIPOLARES: UM ESTUDO PILOTO SOBRE SEGURANCA E EFICÁCIA.
Grunhaus L, Schereiber S, Dolberg OT, Polak D, Dannon PN Psychiatry Division and the Transcranial M
Bipolar Disord. 2003 Feb;5(1):40-7.

INTRODUCÃO: Estudos publicados durante um passado remoto sugerem que a estimulação magnética transcraniana (TMS) pode ter ações antidepressivas significantes. Em um relatório precedente, nós comparamos eletroconvulsoterapia (ECT) e Estimulação Magnética Transcraniana (rTMS) e concluímos ser ECT mais eficaz para Depressão Maior (MD) com elementos psicóticos; contudo ECT e rTMS tem efeitos similares em MD não psicótica. Nós relatamos agora uma comparação controlada entre ECT e rTMS em pacientes MD não psicóticos. MÉTODOS: 40 pacientes com MD não psicótica encaminhados para ECT foram inclusos. A eletroconvulsoterapia foi realizada de acordo com os protocolos estabelecidos. rTMS foi realizada acima do córtex pré-frontal dorso lateral esquerdo com 90% do limiar motor. Os pacientes foram tratados com 20 sessões (cinco por semana durante quatro semanas) de 10 Hz (1200 pulsos por dia) com 90% do limiar motor. A resposta ao tratamento foi definida como um decréscimo de pelo menos 50% na escala de avaliação para depressão de Hamilton (HRSD), com uma contagem final de HRSD igual ou menor que 10 pontos e uma escala de Avaliação Global da Função de 60 ou mais pontos. RESULTADOS: A taxa de resposta total foi de 58% (23 fora dos 40 pacientes responsivos ao tratamento). No grupo de ECT, 12 responderam e 8 não, no grupo de rTMS, 11 reponderam e 9 não (chi2= 10,ns). Assim, os pacientes respondem tão bem com ECT como com rTMS. CONCLUSÕES: Este estudo acrescenta à literatura em crescimento sobre os efeitos antidepressivos da rTMS. Este estudo é particularmente relevante porque sugerem que ECT e rTMS possuem resultados semelhantes na Depressão Maior não-psicótica.

Voltar

 

Eletromagnetismo

Bioeletricidade
em Psiquiatría