Estimulação magnética transcraniana na depressão
Moacyr Alexandro Rosa, Marco Antônio Marcolin, Saxby Pridmore
.

RESUMO
A estimulação magnética transcraniana (TMS) é uma nova tecnologia que promete ser um tratamento para transtornos
psiquiátricos. Ela foi aplicada de uma forma experimental em uma vasta gama de condições. A evidência atual sugere um
efeito antidepressivo importante. Neste artigo são revistos e comentados os principais estudos nos quais foi utilizada a
TMS para depressão. Um grande número de estudos em animais e estudos clínicos introdutórios sugere que a TMS de
repetição com alta freqüência (FF-rTMS) tem uma ação antidepressiva. Houve oito estudos cegos controlados com
simulação. Dois destes estudos não mostraram evidência de efeito antidepressivo. Em um deles, poucos pulsos podem
ter sido fornecidos, de tal forma que o estímulo ativo eventualmente foi inadequado. Em outro, a estimulação simulada
possivelmente foi ativa. Todos os outros seis estudos demonstraram uma ação antidepressiva para o tratamento ativo.
Houve duas comparações cegas entre FF-rTMS e eletroconvulsoterapia (ECT). Em uma delas, a FF-rTMS demonstrou
ter um efeito antidepressivo próximo ao da ECT. Em outra, apesar de ser o resultado derivado de uma subanálise, a FF-rTMS
teve um efeito antidepressivo igual àquele da ECT, para depressão maior não-delirante.
Unitermos: Estimulação magnética transcraniana; Depressão; Tratamento.

ABSTRACT
Transcranial magnetic stimulation in depression
Transcranial magnetic stimulation (TMS) is a new technology which holds promise as a treatment of psychiatric
disorders. It has been applied on an experimental basis in range conditions. Current evidence reveals an important
antidepressant effect. This paper reviews and comments the main publications where TMS was used for depression. A
large number of animal studies and introductory clinical studies suggests that fast frequency repetitive TMS (FF-rTMS)
has an antidepressant action. There have been eight blind sham controlled studies. In one too few pulses may have been
provided, such that the active stimulus may have been inadequate. In another, the sham may have been active. All of the
remaining six studies showed a significant antidepressant action for the active treatment. There have been two blind
comparisons of FF-rTMS and electroconvulsive therapy (ECT). In one, FF-rTMS was shown to have an antidepressant
effect approaching that of ECT. In the other, in non-delusional major depression, although a sub analysis result, FF-rTMS
had an antidepressant effect the same at that of ECT.
Keywords: Transcranial magnetic stimulation; Depression; Treatment.

Voltar

 

Eletromagnetismo

Bioeletricidade
em Psiquiatría